Big Data – Uma questão de informações…

Conversamos nos posts anteriores, (clique aqui para acessar: Aparecer na primeira página do Google… O sonho de todos os negócios!) que o sonho de todos os negócios é aparecer na primeira página do Google.

 

Tela de busca do Google. Como funcionam os buscadores

A empresa Google, que começou com seu site de buscas, logo ficou milionária por causa dos anúncios. O sistema de links patrocinados, cobrando muito pouco a cada clique que os internautas davam nos anúncios, foi se tornando bastante popular devido ao baixo custo e à sua relação direta com a visitação que proporcionava aos sites que não apareciam bem nas buscas orgânicas.

Afinal, um oceano é feito de gotas, não?

Essa política de anúncios no site de buscas da companhia deu certo porque não apresentava aos internautas aquele monte de banners piscando e
competindo pela atenção do usuário: Eram anúncios que naturalmente correspondiam ao que os internautas buscavam.

Utilizo os verbos no passado, pois estamos falando do início da Google, mas é fato que (como vimos no posto passado) a empresa vem mantendo basicamente o mesmo formato de suas páginas de resultados.

Tudo isso só serviu para ampliar o uso do buscador que se tornou o mais popular em todas as regiões do planeta. Ganhando fortunas, ficou fácil para a empresa adquirir outros serviços (como o Youtube) ou manter equipes trabalhando e desenvolvendo serviços para a empresa (Orkut, por exemplo).

Vamos então pensar: Porque para o Google interessava (e interessa ainda) oferecer cada vez mais serviços gratuitos aos internautas?

 

- Para poder exibir mais anúncios?

 

Tela do Google exibindo links patrocinados na forma de anúncios de texto (superior e lateral) e Google shopping (canto superior esquerdo)
Tela do Google exibindo links patrocinados na forma de anúncios de texto (superior e lateral) e Google shopping (canto superior esquerdo)

Sim, também… Mas a resposta vai muito além disso!

Nesse mundo atual, com as pessoas conectadas o tempo todo à internet, quanto mais soubermos sobre seus hábitos, melhor. E os cookies vêm ajudar nessa questão.

Você já reparou que (se estiver utilizando as configurações padrão do navegador), quando entra num site e faz login, após fechar a janela e abrir novamente, mesmo que dali a dois dias, e retornar ao site utilizando o mesmo computador, você já entra no site logado?

Você já ficou incomodado com isso? Como assim, como é que o site que sou eu se nem me identifiquei!!!

Pois é… Obra dos cookies! Quando navegamos nas páginas de vários sites, em “suas páginas” existem scripts que gravam na memória de nosso navegador esse código que é o cookie.

Cookies são pedaços de informação que os sites gravam em seu disco rígido, atribuindo uma identificação única para cada computado para se lembrar de suas preferências. Esse recurso foi utilizado pelo Google desde o início. Ele inclusive determinava que os cookies ficassem gravados por muitos anos. Agora imagine a quantidade de informações armazenadas sobre cada um dos internautas que utilizavam (e utilizam ainda) o Google!

Sinto informar que essas informações encontram-se todas guardadas nos servidores da empresa e são utilizadas para otimizar a exibição de anúncios. Mas veja, não é só o Google que utiliza essa prática. Outros buscadores que trabalham da mesma maneira também o fazem.

O link para encontrar seu histórico de buscas no Google pode ser encontrado no rodapé da página de buscas, em configurações.
O link para encontrar seu histórico de buscas no Google pode ser encontrado no rodapé da página de buscas, em configurações.

Para piorar um pouco ainda: Veja então que os serviços gratuitos oferecidos pela Google não são tão gratuitos assim… Nós pagamos caro, com nossas informações.

Provavelmente o Google sabe mais sobre minhas dúvidas do que meu marido!

É para o Google que confidenciamos nossas inseguranças, nossos medos, nossas doenças, nossos desejos… ai ai ai… Foi daí que veio toada aquela polêmica de uns anos atrás, quando  a Google passou a solicitar aos internautas a cada vez que acessavam os serviços da empresa, que concordassem com a nova política de privacidade a companhia, lembra?

Pois bem, com a unificação das contas dos serviços oferecidos o Google passou a controlar ainda mais as informações de utilização da web.

O que será que está acontecendo quando acessamos nossos e-mails no Gmail e aparecem propagandas relacionadas ao conteúdo desses e-mails? Não, não é coincidência!

Página com os termos de privacidade do google
O link para encontrar os termos de privacidade do Google pode ser encontrado no rodapé da página de buscas.

Como já afirmei. O armazenamento de informações não é restrito à Google. Muitos outros buscadores e empresas utilizam desse recurso.

Tudo para formar o tal BIG DATA. Um gigantesco banco de dados com informações de todos: onde estive (check-in), com quem (mídias de relacionamento), quanto paguei (checkout), o que comprei…

 

Curiosidade:

Você conhece o buscador DuckDuckGo?  ( www.duckduckgo.com)

 

Tela inicial do DukDukGo, um buscdor que promete que não rastreia nossas informações de navegação.

 

Eles prometem que não rastreiam nossas informações…

Agora é uma questão de opção: Continuar entregando seus dados para “qualquer um” ou abrir mão de todos esses serviços maravilhosos que utilizamos o tempo todo?

 

Deixe seu comentário aqui em baixo!

FacebookTwitterGoogle+

Heloisa Gaspar

Analista de SEO como profissão; Motociclista por opção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


nove × 5 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>