Dicas para colocar seu site no índice do Google

Como colocar seu site no Google: confira nossas dicas

Os buscadores como Google, Yahoo, etc. são motores que armazenam em seus servidores todo o conteúdo que conseguem visualizar nos sites visitados por eles. São data centers enormes espalhados por todo o mundo!

Uma vez que um internauta entra na página da web do Google e digita sua busca, “ao dar ENTER”, ele dá a ordem ao programa do Google para buscar, dentre todas as informações que ele possui armazenadas, quais os sites que possuem conteúdo referente à solicitação.

E o buscador retorna aquele monte de resultados…

Mas para que seu site esteja entre aqueles que o Google retorna para o usuário, é necessário (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

Como colocar meu site no Google?

A elaboração de um site é uma tarefa delicada: separar o conteúdo que será publicado, fotos e arquivos adicionais. Uma vez decidido o layout do site e como será a navegação interna, ainda sobrará uma tarefa bastante trabalhosa que é a elaboração dos textos que serão publicados em cada uma das páginas.

Os buscadores e a indexação de sites

Para conseguir preparar melhor o conteúdo de um site visando um melhor posicionamento nos buscadores, é necessário primeiro entender como funcionam esses programas que varrem a internet.

Mecanismos de busca são programas feitos para auxiliar a busca de informações. O Word (processador de textos da Microsoft) possui um motor de busca interno que permite localizar rapidamente dentro de um texto uma palavra determinada. O Windows também possui um programa buscador através do qual é possível localizar arquivos ou trechos de arquivos utilizando o comando “localizar”.

 

O mesmo funciona também na internet: os buscadores como Google, Yahoo, etc. são motores de busca que conseguem localizar dentro de arquivos o conteúdo solicitado pelos internautas (os sites são compostos por arquivos armazenados em servidores que disponibilizam seu conteúdo para acesso através da internet). (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

As mudanças de algoritmo do Google

A Google está sempre focada em exibir os melhores resultados para os usuários do buscador. Isso é fácil de entender… Se boa parte de suas receitas vem dos anúncios (links Patrocinados) natural eles quererem manter seus usuários bem fiéis! Quanto mais usuários, mais eles ganham!

É por isso que essa gigante das buscas promove mudanças em seus algoritmos.

Sede da empresa Google. Imagtens das mudanças de algoritmo do Google: Panda, Penguin e Humminbird

Acontece que exibir anúncios em resultados de busca é uma forma de negócios que não é exclusiva do Google. Outros buscadores (Yahoo, Bing e outros menores como Ask, etc) também exibem resultados PPC ( Pay per click) em seus resultados. Só que nenhuma delas até hoje conseguiu chegar nem perto do número de usuários do Google.

Visitando as páginas dos posts anteriores você pode se inteirar mais sobre o desenvolvimento da internet e dos buscadores. Yahoo já foi o “the best” até o surgimento do Google, por exemplo.

Antes de entrarmos diretamente na questão das mudanças do algoritmo assista o vídeo abaixo produzido pelo Google, que mostra um pouco da preocupação da equipe do motor de busca e como eles resolvem o que será implementado. (o vídeo está em inglês mas possui legendas em português, basta selecionar na barra inferior)
(mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

O que é algoritmo e o que tem a ver com o Google?

Algoritmo é uma sequência lógica de instruções que devem ser seguidas para resolver um problema ou executar uma tarefa.

Normalmente encontramos esse termo ligado a programas de computador, que nada mais são do que “ordens dadas para que a máquina execute uma determinada tarefa”. Para que você consiga visualizar melhor uma sequência de instruções, coloco aqui o exemplo de um diagrama muito conhecido por trabalhadores e estudantes.

O que é um algoritmo? Como funciona o algoritmo do Google?
Exemplo meramente ilustrativo

 

Veja que existe um problema que precisa ser resolvido e a cada passo existem duas ou mais possibilidades. Um bom algoritmo prevê todas as possibilidades e busca soluções para cada uma delas. Neste exemplo, utilizei uma piada, e bem simples. Mas os programas de computadores executam funções bem mais complexas e em frações de segundos.

Agora pense: se você fosse a Google e estivesse desenvolvendo um programa que conseguisse visitar todos os sites e guardar as informações que eles contém, para poder mostra-las aos internautas quando procuram por alguma informação…

Como funciona o Google. Aparecer na primeria página do Google
Exemplo meramente ilustrativo

 

Colocando em palavras:

– Um site avisa ao Google de sua existência (via Central de Webmasters)

– O Googleboot (programa rastreador) recebe a ordem para visitar o site

– Rastreia todo o conteúdo do site

– indexa todo o conteúdo, inclusive os links encontrados

– Google envia informações para o banco de dados d site visitado

– Google visita os sites que estão nos links

– Programa de indexação através de sua programação, vai contabilizar e classificar os sites conforme sua relevância (de acordo com as indicações – links – e com o conteúdo)

– Informações indexadas são armazenadas no banco de dados

– A cada consulta realizada, programa busca no banco as informações e sites mais relevantes (conforme sua classificação) e devolve os resultados para o internauta.

Neste exemplo estariam envolvidos vários programas (novamente insisto – isso é um exemplo meramente ilustrativo). Cada um desses programas seguiria uma lógica de programação para executar as tarefas.

 

Então temos que o buscador Google nada mais é do que um sistema de programas que seguem determinadas ordens para conseguir executar uma tarefa: Ele precisa conhecer os sites, armazenar as informações e entrega-las aos internautas que realizam suas buscas da forma que seja mais significativa.

O que torna o Google tão especial é a maneira como armazena e entrega resultados bem relevantes em frações de segundos.

Para a classificação dos sites (o que acontece a cada consulta feita) levando-se em conta o comportamento e interesse (histórico) de cada internauta, os programas do Google realizam milhares de cálculos que irão determinar a ordem em que cada um dos resultados é exibido ao internauta.

Aparecer na primeira página do Google. Exemplo de tela de resultados do google

Como já falei anteriormente (veja no post Aparecer na primeira página do Google), nós, profissionais que trabalhamos com SEO, estamos sempre atentos à forma como os resultados são apresentados e, juntamente com algumas dicas passadas pela equipe do Google, vamos acertando nossas estratégias de otimização de sites buscando um posicionamento melhor para nossos clientes.

Ao mesmo tempo, o Google vai realizando alterações em seus algoritmos para tentar frear qualquer tentativa de manipulação dos resultados. A cada dia acontecem muitas alterações pequenas. Mas, eventualmente, o Google lança algumas alterações mais radicais e dão uma chacoalhada na forma como os resultados vinham sendo exibidos. Alguns sites caem de posição, alguns são punidos e outros sobem de posição.

Falarei sobre as últimas grandes mudanças ocorridas no algoritmo do Google e o que elas envolveram na próxima semana.

Fique ligado. Inscreva-se em nosso site e curta nossa página no Facebook.

Ficou com alguma dúvida ou quer acrescentar alguma informação… Deixe seu comentário abaixo!

 

Otimização de sites, Links Patrocinados, Midias Sociais. Divulgação de sites na Internet

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

Big Data – Uma questão de informações…

Conversamos nos posts anteriores, (clique aqui para acessar: Aparecer na primeira página do Google… O sonho de todos os negócios!) que o sonho de todos os negócios é aparecer na primeira página do Google.

 

Tela de busca do Google. Como funcionam os buscadores

A empresa Google, que começou com seu site de buscas, logo ficou milionária por causa dos anúncios. O sistema de links patrocinados, cobrando muito pouco a cada clique que os internautas davam nos anúncios, foi se tornando bastante popular devido ao baixo custo e à sua relação direta com a visitação que proporcionava aos sites que não apareciam bem nas buscas orgânicas.

Afinal, um oceano é feito de gotas, não?

Essa política de anúncios no site de buscas da companhia deu certo porque não apresentava aos internautas aquele monte de banners piscando e
competindo pela atenção do usuário: Eram anúncios que naturalmente correspondiam ao que os internautas buscavam.

Utilizo os verbos no passado, pois estamos falando do início da Google, mas é fato que (como vimos no posto passado) a empresa vem mantendo basicamente o mesmo formato de suas páginas de resultados.

Tudo isso só serviu para ampliar o uso do buscador que se tornou o mais popular em todas as regiões do planeta. Ganhando fortunas, ficou fácil para a empresa adquirir outros serviços (como o Youtube) ou manter equipes trabalhando e desenvolvendo serviços para a empresa (Orkut, por exemplo).

Vamos então pensar: Porque para o Google interessava (e interessa ainda) oferecer cada vez mais serviços gratuitos aos internautas?

 

- Para poder exibir mais anúncios? (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

Aparecer na primeira página do Google… O sonho de todos os negócios!

Bom, nós vimos que no decorrer do tempo da internet as buscas se tornaram o principal responsável pelas visitas em sites (lógico que temos outros meios de trazer pessoas para um site: Campanhas, anúncios, liquidações, e-mail marketing, etc). Mas, no dia a dia “normal” de um site os novos visitantes vêm através das buscas… Seja pelas buscas orgânicas, seja através de links patrocinados.

aparecer na primeira página do Google é sinônimo de um negócio de sucesso

 

Um site bem posicionado nas buscas do Google é quase que sinônimo de um negócio bem sucedido!

Quem está na primeira posição do Google tem uma posição privilegiada. Os segundos e terceiros lugares também… Do quarto ao décimo também atraem bastantes visitantes. Mas, cair na segunda página de resultados já não traz um retorno tão favorável… Confira a diferença no número de visitas recebidas por sites em diferentes posições da primeira página na ilustração abaixo. Repare que da primeira para a terceira posição o número cai praticamente à metade.

Obs.: Para montar a ilustração abaixo eu realizei uma busca específica no Google, que mostrasse clientes meus na primeira, segunda e terceira posições dos resultados, e dos quais eu tenho acesso aos relatórios do analytics. Foram realizados dois filtros: (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

O Google e a Google (O buscador e a empresa)

Estávamos vendo no post “História dos buscadores – Dos diretórios ao surgimento do Google” que o buscador Google surgiu em uma época em que houve um verdadeiro boom na internet – Uma explosão de conteúdo, com milhares de sites entrando na rede diariamente. Todos os sites querendo aparecer para quem buscava por produtos e serviços. As antigas listas telefônicas começaram a cair em desuso uma vez que procurar na internet era mais rápido e podíamos não só localizar os telefones das empresas, mas também conhecer sua estrutura, seus serviços e produtos. Muito mais prático que aqueles imensos catálogos!

Google, tela inicial do buscador em 1997. Como funcionam os buscadores

Apareceram vários serviços onde era possível buscar pelos sites na internet, mas todos eles começaram a apresentar alguns problemas com relação aos resultados apresentados (esses problemas já foram mencionados no post da história da internet).

Nessa época (1995) dois estudantes da Universidade de Stanford, Sergey Brim e Larry Page estavam realizando um trabalho para a faculdade, onde se propunham, de forma descompromissada, a resolver o problema de classificação de sites na internet. Eles criaram uma metodologia onde os sites eram classificados não manualmente, ou automaticamente de acordo com os critérios de palavras-chave, mas de acordo com o que eu chamo de um “sistema de relacionamento”. O que define se um site é importante ou não é a sua rede de relacionamentos.

 

Link building. O início do Google
– Site 5 não tem links apontando para ele;
– Site 1 possui um link apontando para ele;
– Site 4 possui 2 links para ele;
– Site 2 possui 3 links;
– Site 3 possui 5 links apontando para ele…

 

Costumo explicar para meus clientes que esse algoritmo do Google funciona como uma propaganda boca-a-boca. Se eu estou procurando uma máquina de escrever para comprar, a máquina que tiver mais referências circulando por aí é a que primeiro vai ganhar minha simpatia, certo?

E esse foi o começo do Google buscador. Um programa que rastreava a internet, de site em site, armazenando o conteúdo de texto encontrado em todas as páginas daquele endereço, e seguindo os links que ele encontrava, contabilizando cada link de um site para outro como uma indicação.

Então: se um site possui um link apontando para ele e outro possui 5, qual é o mais importante e deve aparecer em primeiro nos resultados de busca?

 

Bom, esse foi o princípio.

Com o lançamento do site de buscas, as pessoas ficaram encantadas, pois os resultados que retornavam eram muito mais relevantes do que (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

Um pouco mais sobre a internet e as buscas

Continuando com nossa História da Internet, hoje vai um post com um jeitão mais “happy hour”.

Um vídeo que ilustra muito bem como surgiu o Yahoo e como as buscas foram se aperfeiçoando com o correr do tempo.

Yahoo, busca por empresas. Como funcionam os buscadores

Sei que prometi falar hoje sobre o Google buscador e como ele se tornou a empresa Google, essa potência que conhecemos, mas eu encontrei esse vídeo do DiscoveryChannel, dublado, que mostra de (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

História dos Buscadores – Dos diretórios ao surgimento do Google

Procura no Google

Pergunta pro Google

Vamos ver o que o Google tem a nos dizer…

Essas são apenas algumas das muitas citações que as pessoas utilizam quando precisam procurar algum conhecimento, produto ou serviço. O fato é que as pessoas já estão mais do que acostumadas a se referir ao Google como a fonte das informações na internet.

Tela de busca do Google. Como funcionam os buscadores

Mas porque será que o Google conseguiu conquistar essa posição de destaque?

Comentei aqui no blog (post sobre a História da Internet e a mudança no comportamento) que a internet foi aberta comercialmente na década de 90; em 1995 no Brasil.

Antes dessa abertura já era possível realizar pesquisas em bibliotecas e sites científicos… Com a abertura, empresas no mundo todo enxergaram o grande potencial que a construção de páginas divulgando seus negócios poderia significar. Isso causou uma explosão no número de sites disponíveis.

 

Com tantos sites na internet, tornou-se necessário criar listas onde esses sites pudessem ser encontrados. Essas enormes “listas de endereços” foram criadas em forma de diretórios, onde os sites eram cadastrados manualmente. As URLs, endereços dos sites, suas descrições e as palavras-chave que melhor descreviam os negócios eram enviadas manualmente para os diretórios que incluíam os sites nas suas listas. Eram muitos diretórios disponíveis e quem montasse um site e quisesse que os internautas o encontrassem precisavam submeter suas URLs a diversos diretórios.

(URLs – endereço de um recurso disponível em uma rede, que pode ser tanto a rede internet ou como uma intranet, e significa em inglês Uniform Resource Locator, e em português é conhecido por Localizador Padrão de Recursos.)

Repare no gráfico que nos primeiros anos (de 1996 até o final de 99) o crescimento do número de registros foi bem modesto. Conforme os recursos para acessar e navegar na internet foram melhorando e alcançando um número de pessoas maior o número de registros mostrou um acréscimo acentuado.

Crescimento do número de domínios .br até junho de 2014. Como funcionam os buscadores

 

Evolução do número de domínios .br até junho de 2014. Como funcionam os buscadores

 

Já nessa época  a briga pelas primeiras posições nos resultados oferecidos pelos diretórios tornou-se (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais

Mobile (smartphones e tablets) – Seu site está preparado?

Na semana passada o Google começou a enviar avisos aos proprietários de sites que não são amigáveis às plataformas mobile.

 

Seu site está preparado para smartphones?

 

Criação de site mobile. Sites responsivos podem ser acessados em todos os dispositivos. Exemplos de telas

 

Eu já percebo um movimento nos resultados das buscas há um tempo. Todas as mudanças maiores que sofreram os algoritmos do Google buscam melhorar a experiência do usuário, dando preferência a sites mais rápidos, sites com constante atualização e conteúdo, sites com urls amigáveis, etc.

Agora, sites que possuem conta na central de webmaster estão recebendo esses avisos para que revejam as construções da sua estrutura para permitir que sejam acessados de qualquer plataforma.

 

Mas isso não significa que o Google esteja penalizando sites que não são mobile. Simplesmente esses sites, mesmo que bem posicionados para buscas realizadas em computadores desktop (ou notebooks) começarão a perder (mais…)

FacebookTwitterGoogle+

Leia Mais